Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Já Não Sei Voar

 

Cortaram-me as asas

E eu já não sei voar…

Delicada como uma flor,

Frágil como uma borboleta,

A clausura prende-me

Como a um belo pássaro exótico

Dentro de uma gaiola dourada.

Transformei-me num objecto

De admiração e cobiça,

De valor incalculável.

Mas sem asas para voar.

Espero eternamente

Uma mão que me liberte

Que me mostre outros mundos

E a liberdade.

Que me ensine o que é viver

E o que é sentir.

Cortaram-me as asas

E eu já não sei voar…

                                                        C.C.B.

 

Um Dia Histórico...

... não só para Portugal mas também para mim, que tenho memória muito vivas desse dia.

Lembro-me que estava um dia de calor talvez como hoje, lembro-me dos helicópteros a sobrevoarem a minha zona, de sentir medo e da minha mãe pedir desesperadamente para que o meu pai chegasse a casa.

Era uma miúda e não percebi nada do que estava a acontecer. Não tinha compreensão suficiente para perceber a importância daqueles acontecimentos e daquela luta pelo direito à liberdade.

Com a minha inocência própria de criança, acompanhei o meu pai às manifestações, cantei, gritei e protestei, sem no entanto, ter consciência de que aquela luta também se iria reflectir no meu futuro.

Espantou-se o nosso ministro pela pouca importância e até desconhecimento, dos jovens,  da relevância deste dia para a vida dos portugueses. Isto a mim não me surpreende nada.

Se para mim, que ainda vivi no pré-25 de abril e vivi a revolução, os acontecimentos estão tão distantes, porque é que os jovens de hoje deveriam sentir uma grande empolgação?

Desconhecem o que é a privação da liberdade de actos e de discurso. Talvez não fosse mal pensado fazer acções de sensibilização nas escolas e noutros organismos para mostrar como era Portugal antes da revolução.

Viva a Liberdade e a Justiça!